Possível embargo à carne de vaca portuguesa

Ministro garante não existir falta de segurança

03 fevereiro 2003
  |  Partilhar:

O ministro da Agricultura, Sevinate Pinto, assegurou que uma eventual imposição do embargo à carne de vaca portuguesa não tem a ver com qualquer questão sanitária ou de segurança alimentar, mas sim jurídica.
 

 

O ministro reagiu, na semana passada, à possibilidade de o embargo à carne bovina poder voltar a ser decretado, se o Tribunal de Justiça do Luxemburgo seguir o parecer do advogado geral que está a estudar o caso.
 

 

A França apresentou no Luxemburgo um «recurso de anulação» da decisão da Comissão de 25 de Julho de 2001 que define a data - 01 de Agosto de 2001 - de início da expedição de produtos de origem bovina a partir de Portugal. O governo francês esclarece que não contesta o princípio do levantamento do embargo, mas sim a data prevista para este.
 

 

Consumo assegurado
 

 

Produtores e comerciantes de carne bovina afirmam que um novo embargo a Portugal não terá consequências económicas e mostram-se confiantes na qualidade da carne de vaca nacional.
 

 

Se o Tribunal de Justiça do Luxemburgo seguir o parecer do advogado geral que está a estudar o caso, o embargo à carne portuguesa pode ser imposto mais uma vez.
 

A Associação Nacional de Engordadores de Bovinos (ANEB) sustenta que o problema «desapareceu em Portugal», desde a introdução dos testes rápidos para detectar a «doença das vacas loucas».
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.