Portugueses não cumprem medicação por esquecimento

Estudo do Instituto de Ciências Sociais

28 março 2010
  |  Partilhar:

Um estudo do Instituto de Ciências Sociais (ICS), intitulado “A Adesão à Terapêutica em Portugal”, revela que quase metade dos portugueses que não tomam a medicação tem como motivo principal o esquecimento.

 

O trabalho, coordenado pelos sociólogos Manuel Villaverde Cabral e Pedro Alcântara da Silva, contou com o patrocínio da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma).

 

De acordo com os dados, revelados pela agência Lusa, 46,7% dos inquiridos não segue a prescrição médica por puro esquecimento.

 

Contudo, o estudo também indicou que muitos dos doentes (18,3%) não compram os medicamentos por falta de dinheiro, sendo os mais idosos e menos escolarizados os principais afectados por este problema.

 

O estudo do ICS foi efectuado em 2008 junto de 1.400 indivíduos representativos da população portuguesa (Continente), com 16 ou mais anos de idade, com uma sobrerepresentação dos indivíduos com 50 ou mais anos, face à sua incidência na população.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.