Portugueses ingerem demasiado sal e em cinco anos a maioria não mudou hábitos

Dados da Sociedade Portuguesa de Hipertensão

15 maio 2015
  |  Partilhar:
A esmagadora maioria dos portugueses consome quantidades de sal superiores à recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e, apesar de estarem mais bem informados sobre os seus malefícios, apenas um quarto mudou os seus hábitos alimentares nos últimos cinco anos.
 
Os dados avançados à agência Lusa pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão (SPH) surgem a propósito do Dia Mundial da Hipertensão, que se assinala a 17 de maio, numa iniciativa da World Hypertension League, e que tem como objetivo divulgar a importância da prevenção, deteção e tratamento da doença.
 
De acordo com o estudo “Perceção da População Sobre Hipertensão”, 95,6% dos portugueses ingere sal acima do recomendado pela OMS (5,5 gramas por dia) e, nos últimos cinco anos, apenas um quarto da população reduziu o consumo de sal. 
 
Segundo os dados obtidos entre 2009 e 2014, a faixa etária dos 45 anos foi aquela que admitiu na sua maioria não ter realizado qualquer mudança de comportamento (60% a 73%).
 
Em termos de identificação de alimentos com sal, apenas um quarto dos inquiridos revela ter em consideração a informação nutricional contida nas embalagens dos alimentos, sendo os jovens aqueles que menos importância atribuem a esta prática, com 82% a admitir que não verifica o sal presente nos alimentos.
 
Cerca de três em cada quatro portugueses revelam não saber identificar alimentos fontes de sal: apenas 2% referem o bacalhau como fonte de sal e 18% indicam as conservas. 
 
A grande maioria dos inquiridos (91%) considera útil a utilização do semáforo de cores nos alimentos embalados para identificar o teor de sal. Este sistema consiste numa rotulagem de alimentos proposta pela SPH com as cores do semáforo: vermelho para os alimentos com muito sal, amarelo com sal moderado e verde com pouco sal.
 
No que diz respeito aos hábitos de medição da tensão arterial, um quarto dos portugueses admite desconhecer os valores da sua pressão arterial e mais de metade da população (61%) só a mede quando vai ao médico, sendo os jovens aqueles que menos têm esse hábito.
 
Este estudo revela ainda que mais de metade dos jovens (54%) não sabe os valores a partir dos quais é revelada a hipertensão, embora tenham genericamente a ideia de que é uma doença grave.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.