Portugueses desperdiçam alimentos fora do prazo

Estudo da Deco

25 março 2015
  |  Partilhar:
Mais de metade dos inquiridos num estudo da associação para a defesa dos consumidores Deco admite colocar no lixo alimentos fora do prazo de validade, o que nem sempre pode ser necessário e representar desperdício, revela uma notícia da agência Lusa.
 
Num artigo publicado na edição de abril da revista Proteste, a que a Lusa teve acesso, são apresentados os resultados de um inquérito levado a cabo por esta associação a 1.725 consumidores, com idades compreendidas entre os 25 e 74 anos, durante setembro e novembro do ano passado.
 
“O nosso inquérito revela muito desperdício alimentar: mais de metade dos inquiridos confessa deitar para o lixo alimentos fora do prazo”, pode ler-se na publicação.
 
De acordo com a Deco, embora o prazo de validade deva ser respeitado em alimentos perecíveis assinalados com a indicação “consumir até”, no caso dos produtos que indicam “consumir preferencialmente até” o mesmo pode não acontecer, ou seja, não há problema em consumi-los após o prazo de validade desde que estes se encontrem em boas condições de conservação.
 
Carne, peixe, enchidos, ovos, leite do dia, bolos com creme, queijo fresco ou iogurtes são alguns dos exemplos de alimentos perecíveis em que se deve respeitar o prazo de validade indicado.
 
A Deco nota que cerca de dois terços dos inquiridos não sabem qual a distinção entre as designações “consumir até” e “consumir preferencialmente antes de”.
 
Uma técnica da Deco explicou à agência Lusa que há legislação que define e diferencia as duas formas de rotular os prazos de validade. O “consumir até” é a forma de impor uma data limite de consumo e aplica-se a produtos perecíveis, enquanto o “consumir preferencialmente antes de” significa a data de durabilidade mínima do produto.
 
No caso dos alimentos com a indicação “consumir preferencialmente até” não haverá problemas em consumi-los depois do prazo indicado, desde que a embalagem esteja ainda fechada e o alimento bem guardado, segundo o modo de conservação aconselhado.
 
A massa ou o café, por exemplo, podem apresentar um sabor ou textura um pouco alterados após o prazo de validade, mas não apresentam riscos de intoxicação alimentar.
 
Segundo a Deco, o desconhecimento destas diferenças “explica que 40% dos inquiridos deitem fora produtos cujo prazo preferencial de consumo foi ultrapassado. Tal poderá constituir um desperdício desnecessário”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.