Portugueses avançam na pesquisa da Polineuropatia Amiloidótica Familiar

Estudo da Universidade de Coimbra

29 abril 2007
  |  Partilhar:

 

Uma investigação em curso na Universidade de Coimbra permitiu caracterizar os mecanismos moleculares que originam a "doença dos pezinhos" e está a avançar na pesquisa de novos fármacos para combater a progressão da patologia.
 

 

Conhecida por "doença dos pezinhos", a Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF) é uma patologia rara hereditária, geralmente fatal, que tem como base a deposição de agregados da proteína Transtirretina (TTR) no sistema nervoso periférico, sendo o transplante hepático o único tratamento possível.
 

 

O estudo internacional, coordenado por Rui de Brito, do Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCTUC), permitiu construir um modelo estrutural computacional para os agregados anómalos, tóxicos, sendo esta uma das contribuições originais da equipa para a pesquisa desta doença.
 

 

Outra área complementar desenvolvida pelos investigadores da FCTUC é o estudo de compostos farmacológicos que, em simulações computacionais, "parecem promissores na estabilização das quatro componentes iniciais da proteína TTR", inibindo os processos anómalos subsequentes, que levam à deposição da substância amilóide no sistema nervoso periférico.
 

 

Na investigação, iniciada em 1997, estão envolvidos ainda cientistas da Universidade de Leeds e do FMP-Berlim (Instituto de Farmacologia Molecular), entre outras instituições.
 

 

Segundo a nota divulgada pela FCTUC, em Portugal há mais de 500 famílias afectadas e perto de dois mil doentes sintomáticos. Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Esposende, Figueira da Foz e Unhais da Serra - Pampilhosa da Serra são as regiões de maior incidência da doença.
 

 

Fontes: Lusa
 

MNI- Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.