Português descobriu como tornar quimioterapia mais eficiente

Estudo publicado na revista “Cancer Cell”

24 agosto 2012
  |  Partilhar:

Um estudo conduzido pelo centro de pesquisa VIB/KU Leuven, Bélgica, descobriu uma forma de potenciar a eficácia da quimioterapia no combate ao cancro e de minimizar os seus efeitos secundários.

 

Liderada pelo português Rodrigo Leite de Oliveira, a equipa confirmou que o bloqueio de uma enzima (PHD2) conduz à normalização do fluxo sanguíneo ao tumor, melhorando, consequentemente, a resposta do organismo à quimioterapia. A rede vascular tumoral é constituída por vasos sanguíneos frágeis, irregulares e disfuncionais. Estas características tornam a condução dos fármacos até às células cancerosas mais difícil e promove a disseminação das células cancerosas e a formação de metástases.

 

Este estudo demonstrou que quando se reduzia a atividade da enzima PHD2 nas células endoteliais dos tumores, a rede vascular tumoral estabilizava e os agentes quimioterápicos (neste caso, a cisplatina e a doxorubicina) eram distribuídos de forma mais uniforme pelo tumor, resultando no aumento da sua ação.

 

Sendo assim, os tumores tornaram-se mais pequenos e mais sensíveis à ação de doses mais baixas dos fármacos administrados. Isto constitui uma mais-valia na administração de drogas que possuem uma elevada toxicidade.

 

A neutralização dos efeitos secundários da quimioterapia deu-se devido à inibição do sensor de oxigénio PHD2, protegendo a função renal e a cardíaca, que são normalmente as funções mais afetadas quando os pacientes com cancro são submetidos a quimioterapia. Segundo os investigadores, esta proteção deve-se a um aumento das defesas antioxidantes, que desempenham um papel crucial em evitar lesões nos órgãos vitais durante os tratamentos de quimioterapia.

 

Com este estudo, é demonstrada, pela primeira vez, uma dupla estratégia de combate ao cancro: a diminuição do tumor e das metástases e a redução substancial dos efeitos secundários que estão associados à quimioterapia. A próxima etapa consistirá no desenvolvimento de inibidores específicos da molécula PHD2 que possam ser aplicados na prática clínica.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.