Portugal tem uma das mais baixas comparticipações de analgésicos da Europa

Associação lança alerta em Semana Europeia Contra a Dor

15 outubro 2007
  |  Partilhar:

 

Portugal é um dos países europeus com mais baixa taxa de comparticipação de analgésicos, alertou o presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, que pretende que essa comparticipação aumente dos 37 para os 95%.
 

 

"A taxa de comparticipação de analgésicos em Portugal é muito baixa relativamente à da esmagadora maioria dos países europeus, já que em alguns países os analgésicos opióides são até gratuitos, com comparticipações de 100 %", comparou o médico José Romão, na data em que se assinala a Semana Europeia Contra a Dor.
 

 

Para a Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, a comparticipação "adequada" para os analgésicos é de 95%, a máxima permitida pelo Ministério da Saúde. "Não é aceitável que doentes com Dor Crónica não possam ser tratados por falta de recursos económicos", frisou José Romão.
 

 

Em Portugal, a baixa taxa de comparticipação dos analgésicos "contrasta" com a comparticipação de 69% dos anti-inflamatórios, que têm "muitos efeitos laterais que são potencialmente graves", como Hemorragias ou Úlceras Gástricas e Pépticas.
 

 

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde de 2004, o consumo de analgésicos opióides por pessoa em Portugal é seis vezes inferior ao de Espanha, 12 vezes inferior a França, 15 vezes a Alemanha e fica 20 vezes abaixo do registado no Reino Unido.
 

 

Fonte: Lusa
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.