Portugal quer aumentar esperança de vida saudável aos 65

Metas do novo Plano Nacional de Saúde

08 junho 2015
  |  Partilhar:

Portugal pretende aumentar a esperança de vida saudável em 30% aos 65 anos e assume que é fundamental ter programas que intervenham no grupo etário dos 50 aos 60 anos.

 

O novo Plano Nacional de Saúde, ao qual a agência Lusa teve acesso, refere que o aumento da esperança de vida saudável aos 65 anos passaria nos homens a ser de 12,9 anos e de 11,7 anos nas mulheres.

 

Apesar de atualmente as mulheres terem uma maior esperança média de vida, apresentam valores inferiores no que respeita à esperança de vida saudável. Ou seja, vivem mais que os homens, mas com menos qualidade a partir da terceira idade.

 

Os dados relativos a 2012 demonstraram que a esperança de vida saudável aos 65 anos é de 9,9 anos para os homens e de nove anos para as mulheres, “valor inferior ao melhor valor dos países da União Europeia”, refere o Plano da Direção-Geral da Saúde.

 

“Atendendo a que o horizonte 2020 é relativamente curto, considera-se que um valor de 30% de ganhos é a meta a alcançar, pelo que programas que foquem o grupo etário dos 50-60 anos devem ser considerados, nomeadamente para a carga de doença relacionada com a incapacidade”, diz o documento.

 

Duas das quatro grandes metas definidas no plano incluem o aumento da esperança média de vida saudável e a diminuição da mortalidade precoce. Há ainda objetivos mais dirigidos às gerações mais jovens como a redução da prevalência do consumo de tabaco na população com mais de 15 anos e a eliminação do fumo ambiental. O controlo da obesidade na população infantil é também um objetivo do novo plano.

 

No entanto, a DGS reconhece que os indicadores relativos ao consumo e exposição ao tabaco, bem como à obesidade em idade escolar não são recolhidos sistematicamente, sendo por isso “muito difíceis de monitorizar” e de fazer projeções para 2020.

 

Assim, uma das orientações do plano é a criação, até julho de 2016, de um sistema de informação regular para monitorizar o consumo de tabaco e a obesidade infantil, um projeto que deverá ser implementado pela DGS, pelo Instituto Nacional de Estatística e pelo Instituto Nacional de Saúde.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.