Portugal muito abaixo da média europeia na taxa de cirurgias

Estudo realizado pela Antares

15 setembro 2009
  |  Partilhar:

Portugal continua a ter uma das taxas mais baixas da União Europeia relativamente a cirurgias cardíacas por milhão de habitantes, apesar de ser um dos países com mais mortes devido a doenças cardiovasculares, revelou um estudo realizado por uma empresa de consultoria internacional na área da saúde, a Antares, ao qual o Diário de Notícias teve acesso.

 

Em 2008, a taxa de cirurgias cardíacas em Portugal foi de 605 operações por milhão de habitantes enquanto na Europa se realizaram cerca de mil cirurgias cardíacas. Desta forma, o número de cirurgias cardíacas realizadas no país foi de apenas 60% da média europeia.

 

Relativamente ao número de centros existentes para a realização destas mesmas intervenções, o estudo realizado pela Antares apurou que existem sete. O que significa que há um centro para cada 1,4 milhões de habitantes, o que contrasta com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de existência de um centro de cirurgia cardíaca por 1,2 milhões de habitantes.

 

Assim, o documento elaborado pela Anteras, a pedido do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, alerta para o facto de Portugal apresentar rácios de centros de cirurgia cardíaca inferiores à média europeia e salienta que, com o envelhecimento acentuado da nossa população, as necessidades deste tipo de intervenções vão aumentar.

 

O estudo acrescenta ainda que em 2030, tendo só em conta o envelhecimento da população portuguesa, as necessidade de operações cardiovasculares vão aumentar em cerca de 23%.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.