Portugal e Espanha juntos contra doenças oncológicas e neurológicas

Projeto InveNNt

01 julho 2014
  |  Partilhar:

O Instituto de Investigación Sanitaria de Santiago de Compostela e o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia apresentaram na semana passada um projeto com cinco linhas de investigação centradas no diagnóstico oncológico, neurológico e em novas terapias contra o cancro.
 

De acordo com a notícia avançada pela agência Lusa, o projeto denominado por InveNNta conta com a participação de mais de 30 investigadores, os quais iniciaram o seu trabalho em setembro de 2013 e preveem a obtenção de “importantes resultados” num prazo máximo de dois anos.
 

“Trata-se de um ambicioso programa que está a ser levado a cabo pelo Instituto de Investigación Sanitaria de Santiago (IDIS) e pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), e que pretende dar resposta a necessidades médicas por resolver nas áreas da neurologia, cancro e dos novos modelos assistenciais”, esclareceram, numa conferência de imprensa, os seus promotores.
 

Para além de “uma significativa redução dos custos” com os cuidados de saúde, o objetivo é “gerar novos produtos e tecnologias, capazes de promover o emprego qualificado e a criação de Empresas de Base Tecnológica (EBT), no espaço transfronteiriço Galiza-Norte de Portugal”, acrescentaram.
 

O projeto tem como objetivo transformar a região “numa referência para a investigação em nanomedicina, capaz de liderar iniciativas empreendedoras, e de competir na linha da frente, a nível internacional”.
 

Os trabalhos estão a ser desenvolvidos de acordo com os objetivos estratégicos definidos e estão direcionados para o lançamento das bases para criação de uma rede de inovação em nanomedicina. Este projeto pretende ainda desenvolver sistemas de diagnóstico até à fase de protótipo, com aplicações na luta contra o cancro e doenças neurológicas, atenuando assim os custos dos cuidados de saúde e de dependência.
 

“O desenvolvimento de sistemas de monitorização in vivo de células chave para o diagnóstico e tratamento de doenças complexas, com o fim de obter novos agentes de controlo por imagem de ressonância magnética (IRM)”, referem ainda os investigadores.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.