Portugal baixou taxa de mortalidade infantil para metade durante a última década
03 setembro 2001
  |  Partilhar:

A taxa de mortalidade infantil em Portugal baixou para 5,5 por mil em 2000, cerca de metade do valor registado há uma década, segundo os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
 

 

Os resultados definitivos sobre a “Mortalidade infantil em Portugal” indicam que o número de óbitos infantis em 2000 foi de 662, enquanto o número de nados-vivos de mães residentes em território nacional atingiu os 120 008.
 

 

A acentuada diminuição da taxa de mortalidade infantil (número de óbitos de crianças com menos de um ano por 1 000 nados-vivos) coloca, inclusive, Portugal numa situação mais favorável que o Reino Unido e a Grécia.
 

 

Contudo, a distribuição geográfica das taxas é bastante diferente, com as Regiões Autónomas dos Açores e Madeira (8,1 por mil) e o Norte (5,8 por mil) a registarem valores acima da média.
 

 

Abaixo da média está o Centro (4,5 por mil), Lisboa e Vale do Tejo (5,0 por mil) e o Alentejo (5,2 por mil). O Algarve apresenta um valor igual à média nacional: 5,5 por mil.
 

 

O INE indica ainda que a mortalidade neonatal (óbitos de crianças com menos de 28 dias de idade) atingiu, em 2000, o valor de 410 e a pós-neonatal (óbitos de crianças com 28 ou mais dias e menos de um ano) de 252.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.