Porto: Poluição da VCI é o dobro da tolerável

Saúde pública em risco, diz estudo

29 junho 2005
  |  Partilhar:

 

 

O tráfego rodoviário na VCI, auto-estrada urbana que cruza o Porto, provoca uma concentração de óxido de azoto (NO2) que quase duplica o aceitável para a saúde pública, disse à Lusa a co-autora do estudo ImpactAIR.
 

 

A concentração de óxido de azoto (NO2) associada ao trânsito na Via de Cintura Interna (VCI) do Porto atingiu este ano, na zona da Boavista, quase o dobro do aceitável para salvaguarda da saúde humana, de acordo com o estudo.
 

 

O estudo, que vai prosseguir até 2006, é uma parceria do Centro de Modelação e Análise de Sistemas Ambientais da Universidade Lusíada, Instituto Nacional de Saúde Dr.Ricardo Jorge e Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
 

 

A última medição, desenvolvida ao longo de três semanas, indicou para o lanço da VCI na Boavista uma concentração de NO2 de 98,3 microgramas por metro cúbico (mg/m3). Uma concentração de NO2 igual ou superior a 50 microgramas por metro cúbico é considerada perigosa para a saúde pública, de acordo com a tabela publicada no decreto- lei 111/2002, de 16 de Abril, que transpõe para o Direito Interno a Directiva Comunitária 96/62/CE. Porém, a equipa do ImpactAir instalou um segundo grupo de medidores a 100 metros da VCI, que revelaram sempre valores de NO2 duas vezes inferiores aos do eixo da via, dentro da normalidade.
 

 

O óxido azótico provoca irritação ocular e respiratória e, em concentrações extremas, pode levar à morte por asfixia.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.