Portadores de pacemaker já podem ser submetidos a ressonância magnética

Hospitais portugueses entram numa nova era

20 julho 2010
  |  Partilhar:

O Hospital de Santo António, no Porto, participou na primeira implantação de pacemakers que podem ser submetidos a ressonâncias magnéticas, numa iniciativa que decorreu simultaneamente em 6 hospitais do país para “marcar uma nova era”.

 

“Os aparelhos habitualmente usados não permitem que um doente que tenha esse dispositivo implantado faça ressonância magnética nuclear”, disse à agência Lusa Lopes Gomes, director do Departamento de Medicina do hospital e responsável pela equipa que realizou o implante do novo dispositivo.

 

Lopes Gomes explicou ainda que este novo tipo de aparelho já vem preparado de modo a não existir interferência das ondas electromagnéticas da ressonância, podendo o paciente ser submetido a ressonância magnética “sem problemas”.

 

Anualmente são implantados em Portugal entre 8.500 a 9.000 pacemakers. Só no Hospital Geral de Santo António são implantados entre 600 a 650 dispositivos, dos quais 40% são primeiras implantações.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar