Porque soluça o ser humano?

Resposta pode estar nos anfíbios

13 março 2003
  |  Partilhar:

Inspiração breve, convulsiva e ruidosa, com contracção do diafragma e oclusão espasmódica da glote. Esta é, em termos médicos, a definição para soluço. Mas porque razão soluça o ser humano, uma vez que, aparentemente, os soluços não têm qualquer função.
 

 

Este é um mistério antigo, mas segundo um grupo de cientistas franceses a resposta para este enigma pode estar para breve. Segundo os investigadores, o fenómeno tem a ver com a evolução humana, ou seja, com o facto dos ancestrais humanos terem vivido na água.
 

 

Na teoria dos cientistas franceses, a chave para o mistérios dos soluços está em grupos de animais nos quais a contracção dos músculos respiratórios têm um propósito: peixes e anfíbios que ainda possuem guelras.
 

 

Essas criaturas empurram a água pelas guelras comprimindo a sua cavidade bucal, enquanto fecham a glote para impedir que a água caia e entre nos pulmões.
 

 

Segundo o grupo liderado por Christian Straus, do hospital Pitié-Saltpetrière, em Paris, o circuito nervoso que controla o movimento das guelras persistiu em alguns mamíferos.
 

 

Esta poderá ser a razão pela qual os soluços continuassem a ser uma característica humana, mesmo depois dos animais terem saído da água para a terra, há cerca de 370 milhões de anos.
 

 

Os soluços são contracções súbitas dos músculos usados para aspirar o ar. Assim que os músculos se começam a mover, a glote (abertura entre as cordas vocais) fecha a traqueia, produzindo o som característico do soluço.
 

 

Exames de ultra-som já mostraram que os bebés soluçam ainda no útero da mãe, dois meses após serem concebidos, antes mesmo de qualquer movimento respiratório aparecer. Uma teoria é que as contracções preparam os músculos do sistema respiratório dos bebés antes destes nascerem. A outra é que os soluços impedem a entrada de líquido aminiótico (que envolve o feto) nos pulmões dos bebés. No entanto, nenhuma dessas ideias foi ainda provada.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.