Porque são os adolescentes inconscientes?

Centro da recompensa no cérebro ainda não está desenvolvido

11 março 2004
  |  Partilhar:

Porque razão é tão difícil motivar os adolescentes? Porque é mais fácil aos mais novos desviarem-se pelos caminhos da droga e do álcool? Porque, simplesmente, procuram uma forte recompensa com pouco esforço. E o problema é o centro da recompensa no cérebro. O comportamento adolescente pode levar muitos pais à beira da loucura e a perguntarem-se como poderão eles impedir as acções «inconscientes» dos seus filhos. Mas estes factos do comportamento têm uma explicação científica, apresentada recentemente no Journal of Neuroscience. É que, dizem os investigadores, o centro da recompensa no cérebro não está completamente desenvolvido e não é tão responsável como o dos adultos. Estas descobertas poderão ajudar a explicar por que os adolescentes são mais aptos a ingerir álcool, usar drogas e ter sexo sem protecção, já que estas actividades requerem pouco esforço para uma recompensa aparentemente maior.«Nos adultos, a motivação é facilmente activada no cérebro, enquanto os mais novos precisam de incentivos excepcionalmente fortes», explicou James Bjork, investigador do laboratório de estudos clínicos do Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo. Bjork e os seus colegas compararam exames ao cérebro de 12 adolescentes entre as idades de 12 a 17 e de 12 adultos entre as idades de 22 a 28 anos. Enquanto eram analisados, os investigadores pediram aos voluntários para jogarem em playstation. Se ganhassem, iriam ser recompensados com dinheiro, caso não atingissem o objectivo, perdiam dinheiro. Tanto nos adolescentes como nos adultos, as imagens de ressonância magnética demonstraram que eram actividades certas partes do cérebro que se crêem ser as pertencentes ao centro de recompensa.Para Ramon Solhkhah, director de psiquiatria de crianças e adolescentes do St. Luke''s-Roosevelt Hospital Center, em Nova Iorque, as descobertas dão informações de como os adolescentes procuram recompensa e de uma forma muito diferente da dos adultos. Para os adolescentes, explica o especialista, não existem consequências a longo prazo. «O seu sentido de futuro é muito diferente do dos adultos. Os mais novos trabalham muito melhor a curto prazo, de modo que tomar drogas acaba por ser muito mais poderoso que as consequências a longo prazo»Por outro lado, recomenda o especialista que se deve dizer aos adolescentes como as coisas poderão afectar no futuro. «Não digas ao teu filho que se continuar a fumar vai morrer de cancro do pulmão aos 30 anos, porque isso não significa nada para ele. Ao invés, toca o presente. Por exemplo que fumar mancha os dentes e que vai ter maiores dificuldades na prática desportiva. Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.