Porque é tão difícil os indivíduos obesos perderem peso?

Estudo publicado na revista “Nature Communication”

26 novembro 2015
  |  Partilhar:
Quanto mais obesas as pessoas são, mais o organismo produz uma proteína que inibe a capacidade de queimar a gordura, sugere um estudo publicado na revista “Nature Communication”.
 
A maioria das células do organismo armazenam o excesso de energia e libertam-na quando necessária. No entanto, alguns tipos de células, os adipócitos, geram calor para nos manter quentes, através de um processo conhecido por termogénese. Contudo, os investigadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e da Universidade de Toho, no Japão, descobriram que a proteína sLR11 impede este processo.
 
Neste estudo os investigadores decidiram analisar por que motivo os ratinhos que não expressavam o gene que codifica esta proteína eram mais resistentes a aumentarem de peso. Todos os ratinhos e, na verdade, os humanos, aumentam ligeiramente a sua taxa metabólica quando mudam de uma dieta pouca calórica para uma com elevado teor calórico. No entanto, verificou-se que os ratinhos que não expressavam o gene respondiam com um aumento muito maior, o que significa que eram capazes de queimar calorias mais rapidamente.
 
Experiências posteriores demonstraram que nestes ratinhos, os genes habitualmente associados ao tecido adiposo castanho estavam mais ativos no tecido adiposo branco, que normalmente armazena gordura para a libertação de energia. Verificou-se que os ratinhos eram na verdade mais termogénicos e tinham um aumento do gasto energético, particularmente após uma dieta com elevado teor de gorduras.
 
O estudo demonstrou que a sLR11 liga-se a recetores específicos nos adipócitos para inibir a sua capacidade de ativar a termogénese. Na verdade, a sLR11 atua como um sinal para aumentar a eficácia da gordura em armazenar energia e impede a perda excessiva de energia através da termogénese sem restrições. 
 
Após terem analisado os níveis de sLR11 nos humanos, os investigadores verificaram que os níveis da proteína em circulação estavam relacionados com a massa total de gordura, ou seja, quanto maior era o nível da proteína, maior a massa total de gordura. Adicionalmente, quando os pacientes obesos foram submetidos a uma cirurgia bariátrica, o seu grau de perda de peso no pós-operatório foi diretamente proporcional à redução dos níveis de sLR11, o que sugere que esta proteína é produzida pelos adipócitos.
 
Os investigadores sugerem que a sLR11 ajuda os adipócitos a resistirem a queimar gordura em demasia, após refeições prolongadas ou períodos curtos de diminuição de temperatura. Isto torna o tecido adiposo mais eficaz no armazenamento de energia durante longos períodos de tempo.
 
“O nosso estudo ajuda a explicar por que motivo os indivíduos obesos têm tanta dificuldade em perder peso. A gordura armazenada por estes indivíduos está ativamente a combater contra os esforços para queimá-la ao nível molecular”, revelou, em comunicado de imprensa, o primeiro autor do estudo, Andrew Whittle.
 
O líder do estudo, Toni Vidal-Puig, adiantou ainda que foi encontrado um mecanismo importante que pode ser um alvo não apenas para ajudar a capacidade de os indivíduos queimarem gordura, mas também aqueles em que o armazenamento de energia é importante como é o caso da anorexia nervosa.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.