Porque é que as enxaquecas afetam mais as mulheres?

Estudo publicado na revista “Frontiers in Molecular Biosciences”

17 agosto 2018
  |  Partilhar:
Um estudo poderá ter descoberto o potencial mecanismo que faz com que as mulheres sejam mais afetadas pelas enxaquecas do que os homens.
 
Segundo a equipa de investigadores que conduziu o estudo, da Universidade Miguel Hernández em Espanha, as hormonas sexuais afetam as células que rodeiam o nervo do trigémeo e os vasos sanguíneos na cabeça, com estrogénios, fazendo com que as células desencadeiem as enxaquecas.
 
Os níveis mais elevados de estrogénios encontram-se em mulheres em idade reprodutiva.
 
Antonio Ferrer-Montiel e equipa analisaram várias décadas de estudos sobre hormonas sexuais, sensibilidade às enxaquecas e as respostas celulares aos fatores que desencadeiam as enxaquecas para procurarem identificar a função de hormonas específicas.
 
Os investigadores descobriram que algumas hormonas, como a testosterona por exemplo, parecem oferecer proteção contra as enxaquecas. Outras hormonas, como a prolactina, parecem, pelo contrário, agravar as enxaquecas.
 
“Podemos observar diferenças significativas, no nosso modelo de enxaquecas experimental, entre homens e mulheres e estamos a tentar perceber os correspondentes moleculares responsáveis por essas diferenças”, explicou Antonio Ferrer-Montiel.
 
Ao que parece, este efeito resulta do facto de as hormonas tornarem os canais iónicos das células mais ou menos vulneráveis aos fatores que desencadeiam as enxaquecas. Os canais iónicos controlam as reações celulares a estímulos externos.
 
Embora sejam necessários muitos mais estudos sobre as funções de algumas hormonas, o estrogénio evidenciou-se como sendo essencial para perceber a ocorrência das enxaquecas. A hormona foi inicialmente identificada como fator devido à maior prevalência de enxaquecas na altura da menstruação e à associação de alguns tipos de enxaqueca às alterações hormonais relacionadas com o período menstrual. 
 
Apesar de este trabalho ser preliminar, revela-se promissor para se desenvolver medicação personalizada para tratar as enxaquecas.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar