Porque é que algumas doenças entram em remissão durante a gravidez?

Estudo publicado no “Journal of Reproductive Immunology”

20 junho 2010
  |  Partilhar:

Cientistas americanos descobrem o mecanismo biológico responsável pela remissão de algumas doenças auto-imunes, nomeadamente esclerose múltipla e uveíte, durante a gravidez.

 

Para o estudo, os investigadores dos University of Michigan National Institutes for Health, contaram com participação de 21 mulheres grávidas que se encontravam no terceiro trimestre de gravidez, 25 mulheres que sofriam de pré-eclampsia e de um grupo de controlo de mulheres que não estavam grávidas.

 

Com a ajuda de algumas técnicas utilizadas para o estudo da sinalização celular, nomeadamente microscopia de fluorescência e citometria de fluxo, os investigadores constataram que a expressão de uma enzima denominada de “piruvato cinase” nas células do sistema imune era menor nas mulheres grávidas do que nas mulheres do grupo de controlo.

 

O estudo, publicado no “Journal of Reproductive Immunology”, também revelou que a expressão desta enzima era menor nas mulheres grávidas do que nas mulheres que sofriam de pré-eclampsia.

 

A actividade da enzima piruvato cinase e do seu produto, o piruvato, promove o crescimento celular ao mesmo tempo que modifica a resposta imune. Um dos autores do estudo, Howard R. Petty, explica que a resposta do sistema imune depende de o piruvato promover a via de sinalização do cálcio, que, por sua vez, estimula a produção de moléculas mensageiras conhecidas por “citoquinas”. Como a actividade do piruvato está diminuída durante a gravidez, a via de sinalização do cálcio está também reduzida, alterando assim a resposta imune das mulheres grávidas. “A modificação da sinalização ao longo desta via permite que a mulher grávida mantenha uma resposta imune, mas a um nível que não é prejudicial para o feto”, revela o investigador em comunicado de imprensa.

 

Para os investigadores, este é um estudo importante pois, com base nesta nova descoberta, poder-se-ão “desenvolver fármacos que suprimam a actividade da piruvato cinase, replicando assim o estado imunológico de uma gravidez normal”, os quais poderão ser utilizados no tratamento da pré-eclampsia, artrite reumatóide, diabetes tipo 1 e uveíte.

 

Howard R. Petty espera que um dia os níveis da enzima sejam testados no início da gravidez para prever a probabilidade de a mulher desenvolver pré-eclampsia ou outras complicações.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.