Poluição do ar e risco de diabetes

Estudo epidemiológico publicado na revista “Diabetes Care”

27 outubro 2010
  |  Partilhar:

Um novo estudo traz novas provas de uma forte relação entre a diabetes no adulto e a poluição do ar, mesmo que se situe abaixo dos limites de segurança, sugerem cientistas norte-americanos num trabalho publicado na revista “Diabetes Care”. O estudo, liderado por investigadores do Children’s Hospital Boston, EUA, é um dos primeiros grandes estudos populacionais que apontam a relação entre a poluição atmosférica e a doença.

 

O trabalho foi focado na análise das partículas finas de 0,1 a 2,5  nanómetros, componentes principais das nuvens de fumo e dos gases que saem dos carros. Em todas as análises, verificou-se uma forte associação entre a prevalência de diabetes e a poluição. Para cada aumento de 10 microgramas por metro cúbico de exposição de partículas de 2,5  nanómetros, houve um aumento de 1% nos casos de doença.

 

Os resultados da investigação vão ao encontro de outros estudos laboratoriais que mostram um aumento da resistência à insulina, factor precursor da diabetes, em ratinhos obesos expostos a estas partículas, além do aumento dos marcadores de inflamação verificados tanto em animais quanto em pacientes diabéticos obesos.

 

Contudo, segundo reforçou, em comunicado de imprensa, o líder da investigação John Brownstein, não existem “dados sobre a exposição individual, por isso não podemos provar a casualidade, e não podemos saber exactamente o mecanismo que conduz à diabetes nestas pessoas (…) mas a poluição surgiu como um indicador significativo em todos os nossos modelos”.

 

De qualquer modo, os cientistas referem o facto de muitos factores ambientais também poderem contribuir para a epidemia de diabetes nos EUA e em todo o mundo. “Enquanto tem sido dada muita atenção – e ainda bem - aos comportamentos excessivamente calóricos e ao sedentarismo, os factores adicionais podem fornecer novas abordagens para a prevenção da diabetes”, reforçou o co-autor do estudo, Allison Goldfine, do Joslin Diabetes Center, reforçando o facto de os resultados sugerirem que os limites actuais estabelecidos para a poluição não são adequados para evitar os resultados negativos na saúde.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.