Polónia: Médicos e enfermeiros no banco dos réus

Profissionais acusados de matar doentes e vender informações a funerárias

03 janeiro 2006
  |  Partilhar:

 

 

A Procuradoria de Lodz acusou na semana passada dois médicos e dois enfermeiros do hospital distrital de envolvimento no caso de venda de informações a funerárias sobre pacientes falecidos.
 

O caso, revelado pela primeira vez em Janeiro de 2002 pela emissora de rádio local, envolve o assassínio de pacientes por médicos e enfermeiros. Estes quatro funcionários do pronto-socorro do hospital distrital de Lodz não são os primeiros a serem acusados. No processo em curso no tribunal de Lodz estão no banco dos réus outros dois enfermeiros e dois médicos do pronto-socorro.
 

 

Os enfermeiros são acusados de assassínio de cinco doentes por administração de medicamentos, nos anos 2000- 2001, com intenção de obter lucros materiais, enquanto os dois médicos são acusados de involuntariamente terem levado à morte 14 pacientes e de terem recebido "comissões" das funerárias.
 

 

Ao todo o caso envolve 41 suspeitos. Quatro médicos são suspeitos de responsabilidade na morte dos doentes, enquanto dez proprietários de funerárias, sete médicos e 24 outros funcionários do serviço de urgências são suspeitos de envolvimento no sistema de corrupção. Os enfermeiros arriscam pena perpétua, os médicos podem vir a ser punidos com 10 anos de prisão.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.