Polifenóis presentes na maçã protegem contra a colite

Estudo publicado no “Journal of Leukocyte Biology”

20 dezembro 2011
  |  Partilhar:

Os polifenóis presentes na casca da maçã podem ajudar na prevenção da colite, sugere um estudo publicado no “Journal of Leukocyte Biology”.
 

“Muitas das pessoas que sofrem de colite utilizam alguns suplementos dietéticos para complementarem as terapias convencionais, mas a informação que existe sobre os efeitos destes suplementos na saúde parece não ser fiável. Adicionalmente, pouco se sabe sobre o funcionamento exacto destas terapias, ou se na realidade funcionam”, afirma, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, David W. Pascual.
 

Para este estudo, os investigadores da Montana State University, nos EUA, induziram a colite em ratinhos através da administração de uma substância química denominada por dextran sulfato de sódio. A um grupo de ratinhos foi administrado, por via oral, uma dose de placebo e a outro uma dose de polifenóis presentes nas maçãs, todos os dias, durante a progressão da doença.
 

O estudo revelou que os ratinhos tratados oralmente com os polifenóis presentes nas maçãs ficaram protegidos contra a colite. Os investigadores também descobriram que os ratinhos tratados com esta substância, presente na casca da maçã, apresentavam menos linfócitos T (um tipo de glóbulos brancos) activados no cólon. Foi observado que nos ratinhos sem linfócitos T, os polifenóis foram incapazes de proteger contra a colite ou impedir a expressão de citoquinas pró-inflamatórias. O que sugere que os polifenóis protegem contra a colite através da supressão da activação dos linfócitos T e/ou o seu recrutamento.  
 

Os autores do estudo concluem que estes resultados podem conduzir à formulação de novas terapias contra a doença inflamatória do intestino, como a colite ulcerosa, doença de Crohn e cancro colo-rectal associado à colite.  
 

“Para além dos óbvios benefícios nutricionais para a saúde provenientes dos nutrientes e fibras presentes na fruta e vegetais, este estudo indica que mesmo algo tão comum como uma maçã contém outros compostos que podem ter um valor terapêutico muito importante”, acrescenta ainda o vice - editor do jornal, John Wherry, onde este estudo foi publicado.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.