Pneumonia atípica mata mais em locais poluídos

Estudo relaciona doença e poluição atmosférica

25 novembro 2003
  |  Partilhar:

A Pneumonia Atípica, ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), tem o dobro de probabilidade de matar doentes que habitem em regiões poluídas, refere uma equipa de investigadores dos EUA e da China.A doença começou disseminar-se pelo sul da China há um ano, mas acabou por chegar a Pequim e Hong-Kong e a outros países da Ásia e do mundo, incluindo o Canadá. O vírus contaminou mais de oito mil  pessoas e matou mais de 700, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).Não há registo de novas infecções desde Julho. O índice de mortalidade variou de zero a 17 por cento. Em Hong-Kong, por exemplo, 299 dos 1.755 pacientes de Sars morreram, representando 17 por cento.No artigo da revista «Environmental Health: A Global Access Science Source», os investigadores disseram que a poluição poderia ajudar a explicar a variação dos índices de mortalidade -- pelo menos na China.«A exposição a curto e longo prazo à poluição do ar foi associada a uma variedade de efeitos adversos à saúde, incluindo inflamação respiratória aguda, asma, doenças pulmonares crónicas e, agora, a Sars», afirmou Zuo-Feng Zhang, professor de epidemiologia na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), que ajudou na condução do estudo.Na China, excluindo Hong-Kong, foram diagnosticados 5.327 casos de Sars e 349 mortes. As taxas mais altas foram registradas no norte da China. Os investigadores, no entanto, não consideraram outros factores, como fumo, condição socio-económica e tratamento recebido.Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.