Plataforma web estimula cérebro e previne doenças neurodegenerativas

Plataforma desenvolvida pelos investigadores da Universidade do Minho

25 janeiro 2013
  |  Partilhar:

Investigadores da Escola de Psicologia da Universidade do Minho (UM) desenvolveram uma plataforma web com perto de um milhar de exercícios, capazes de estimular o cérebro de forma a evitar o aparecimento ou a progressão de doenças neurocognitivas.
 

De acordo com a UM, a plataforma, que é “grátis e pioneira em Portugal”, já foi testada por meia centena de pessoas com défices neuropsicológicos associados a uma variedade de doenças neurológicas e psiquiátricas, que registaram “melhorias em termos cognitivos e cerebrais” em apenas três meses.
 

A notícia avançada pela agência Lusa refere que a utilização da plataforma obedece a recomendação de um especialista, sendo posteriormente criados o nome de utilizador e a respetiva “palavra-passe” para o paciente, devidamente associado a uma instituição clínica.
 

O problema diagnosticado determinará o tipo de exercício a desenvolver, como treinos de memória, lógica, concentração e funções executivas, entre outros, com o objetivo de exercitar o cérebro, como se de um músculo se tratasse.
 

“São cerca de mil exercícios cognitivos capazes de estimular as zonas do cérebro associadas ao surgimento do acidente vascular cerebral, da esclerose múltipla ou de Alzheimer, doenças neurológicas que atingem milhões de pessoas em todo o mundo”, refere o comunicado UM.
 

A plataforma está também direcionada para a intervenção em perturbações do desenvolvimento neurológico, como o Síndrome de Williams.
 

O doente é avaliado consoante o tempo despendido por sessão e o número de erros, repostas certas e tentativas de realização. Quando a performance é tida como satisfatória, é aumentado o nível de dificuldade.
 

Os exercícios, geridos pelo clínico, poderão ser realizados em contexto de terapia, em casa com a ajuda de familiares ou, até, a sós.
 

Para já, o instrumento está a ser aplicado em pacientes do Laboratório de Neuropsicofisiologia e dos hospitais de Braga, Covões (Coimbra) e Magalhães Lemos (Matosinhos).

 

A longo prazo, a plataforma pode também ser encarada “como estratégia de prevenção para um envelhecimento mais saudável ou, então, ser implementada em contexto escolar para colmatar o défice de atenção, considerado como uma das principais causas de insucesso escolar”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.