Pílula de zinco combate gripe

Além dos fármacos tradicionais, o zinco pode bloquear sintomas gripais

05 novembro 2001
  |  Partilhar:

A gripe, o vírus que mais ataca no Inverno, é para a população do mundo ocidental uma das doenças que provoca maiores custos socais. Ao longo dos tempos, vários têm sido os remédios e mezinhas usados para prevenir ou combater o vírus da gripe. Da vitamina C ao alho, do chá de sabugueiro ou de limão, a lista de possíveis curas da gripe continua a expandir-se. Recentemente, os investigadores descobriram mais uma fonte de cura: o zinco.
 

 

Apesar dos novos medicamentos e vacinas para tratar e prevenir a doença, a gripe permanece um facto desagradável na vida da maioria das pessoas. Estima-se que os adultos sejam «atacados» entre duas a cinco vezes por ano, enquanto as crianças, especialmente as menores de sete anos, tenham a média de quatro a oito. «A gripe comum acontece devido a uma diminuição da reacção à infecção viral presente em algumas células do corpo, especialmente da adenóide», apontou George Eby, presidente do Instituto de Investigação George Eby do Texas, EUA.
 

 

O tecido da adenóide, localizado atrás do nariz, é composto de tecido linfóide cujo propósito primário é combater a infecção.
 

 

Desde os anos 80 que Eby, um autodidacta nas áreas biomédicas, começou a investigar tratamentos contra a gripe com comprimidos de zinco. Actualmente, detém várias patentes de antigripais baseados nesse elemento.
 

 

Os sintomas da gripe comum são causados por mais de 200 vírus diferentes, mas os rinovírus (que afectam o nariz) são os responsáveis por 30 a 40 por cento das suas manifestações nos adultos.
 

 

Esses são vírus mínimos capazes de se multiplicarem até cem vezes em duas horas. E é por isso que o investigador aponta para a importância da acção imediata. O comprimido de zinco funciona quando é administrado após os primeiros sintomas. «Logo quando começar a sentir os primeiros arranhões na garganta». O zinco é considerado um componente crucial do sistema imununitário humano, segundo Eby, mas para que tenha efeito antigripal é preciso que seja ingerido carregado com iões positivos.
 

 

De acordo com a investigação, disponível no site Ver artigo, esses iões tem uma acção de «limpeza» das membranas celulares - incluindo das células secretoras de muco - e inibem a multiplicação dos rinovírus. «Algumas células que revestem o nariz contém iões de zinco puro, que são o meio natural de eliminar as gripes», explica o cientista.
 

 

As pílulas de zinco apropriadas aumentam a defesa natural do organismo nessa direcção. O acetato de zinco e o gluconato-glicina de zinco são os únicos compostos desse elemento que liberam iões positivos, acrescentou ainda. A opinião da comunidade médica sobre a eficácia do zinco contra a gripe é ainda evasiva e pouco clara. Muitos especialistas da área de infecciologia referem que em testes clínicos pouca diferença, ou nenhuma, existe entre o uso de placebo e o do zinco.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI - Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.