Peso a mais pode originar gravidez acidental

Pílulas contraceptivas menos eficazes em mulheres mais gordas

01 maio 2002
  |  Partilhar:

As mulheres com uns quilos a mais correm o risco de engravidar acidentalmente, mesmo quando tomam pílulas contraceptivas. Segundo um estudo da Universidade de Washington, em Seattle, EUA, as mulheres que pesavam 68 quilos ou mais estavam 1,6 vez mais propensas a engravidar devido à falha da pílula do que aquelas com peso menor.
 

A comparação foi efectuada entre mulheres com peso a mais e outras com o peso adequado à idade.
 

 

O índice de falha da pílula está relacionado com a dosagem do contraceptivo oral, sugerem os investigadores. É que, explica o estudo, as mulheres com maior peso que tomavam as pílulas de "dosagem muito baixa" apresentavam 4,5 vezes mais probabilidade de engravidar, em comparação com as restantes, de peso menor, que também tomavam a mesma dose. Quanto àquelas que usavam uma pílula de "baixa dose" apresentaram 2,6 vezes maior probabilidade de engravidar, indicou o estudo.
 

 

Estudos anteriores
 

 

Quando usada correctamente, a pílula é uma forma altamente eficaz de prevenir a gravidez. Mas, nos últimos 20 anos, vários são os estudos que relacionaram o peso da mulher com a falha do contraceptivo oral.
 

 

Nesta nova investigação, conduzida por Victoria L. Holt, da Universidade de Washington, em Seattle, ao longo de mais de 10 anos, os cientistas entrevistaram 618 mulheres, entre 18 e 39 anos, que fizeram parte de um grupo de "controlo" para avaliar a evolução de quistos nos ovários.
 

 

Entre as muitas questões do estudo, os investigadores averiguaram a dosagem de pílula, quando e como engravidaram e altura e peso durante a gravidez . No geral, ocorreram 106 gravidezes, para uma taxa de 3,8 por cento em cada ano.
 

A equipa dividiu as mulheres em quatro grupos, tendo em vista o peso, e descobriu que aquelas que faziam parte dos 25 por cento com maior peso estavam sob um risco maior de engravidar acidentalmente.
 

 

No entanto, em comparação com outro tipo de contracepção - métodos de "barreira", como preservativos ou diafragmas - , o peso corporal parece não ter qualquer relação. Isto sugere, explicam os cientistas, que a falha do método de contraceptivos orais pode ser o único responsável pela gravidez acidental.
 

 

A equipa acrescentou, no entanto, ser necessário comprovar as descobertas com estudos mais amplos. E "a consideração do peso de uma mulher pode ser um elemento importante para a prescrição do contraceptivo oral".
 

 

Ao certo, os cientistas ainda não sabem porque razão existe uma relação entre o peso a mais e as falhas da contracepção. «Possivelmente, a taxa metabólica das mulheres mais gordas conduz a um metabolismo mais rápido dos medicamentos que tomam e, consequentemente, a níveis insuficientes de progesterona – substância que prepara o útero para a implantação e fertilização do óvulo - e estrogénio – hormona que cria condições adequadas à fertilização, implantação e nutrição do embrião - para uma boa eficácia contraceptiva».
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.