Peru no Natal … sem recorrer às urgências do hospital

Indicações para evitar a propagação de bactérias na preparação de refeições com aves

24 dezembro 2013
  |  Partilhar:

O Natal está aí e muitos são os que elegem o peru ou outra ave para o tradicional assado do dia de Natal. Outros preferem o peru às tradicionais batatas com bacalhau na consoada.

 

A preparação desta ave ou de outra de aviário requer, no entanto, que se tenha um conjunto de cuidados para assegurar que toda a família e convidados irão ter uma refeição agradável, livre de bactérias causadoras de doenças (como a E-coli ou salmonela) e de consequentes visitas às urgências hospitalares.

 

É necessário assegurar-se que o peru é corretamente descongelado, limpo, cozinhado e armazenado, afirma a especialista em germes, Donna Duberg, professora assistente de ciências laboratoriais clínicas da Saint Louis University, EUA.

 

A especialista aconselha que o peru, se tiver sido comprado congelado, seja descongelado de forma uniforme, seja dentro do frigorífico durante cinco ou seis dias, no micro-ondas ou mergulhado em água fria.

 

Se optar por água fria, cada quilograma de ave deve permanecer uma hora mergulhado (a uma temperatura inferior a 4,5 graus celsius), devendo a água ser mudada com frequência. O facto de a ave permanecer mergulhada em água fria promove uma descongelação mais uniforme e, consequentemente, um crescimento mais lento das bactérias.

 

Se o peru ou outra ave for descongelado no micro-ondas, este deverá ser imediatamente cozinhado, já que a descongelação poderá não se ter processado de forma uniforme, promovendo o desenvolvimento de bactérias, explica a especialista.

 

A temperatura mais propícia para o desenvolvimento de bactérias situa-se entre os 4,5 e os 60 graus. Torna-se assim essencial que a ave descongele e seja mantida a uma temperatura inferior a 4,5 graus até à altura de ser cozinhada. Certifique-se que a ave descongelou totalmente na altura de a cozinhar.

 

A superfície onde a ave será preparada também deverá merecer a sua atenção, já que a mesma poderá constituir uma potencial fonte de bactérias. Tenha o cuidado de antecipadamente limpar a superfície com água quente e detergente ou uma solução constituída por uma parte de vinagre e nove de água. Os utensílios e as tábuas de corte de alimentos deverão ser também limpos para que as bactérias da cozinha não contaminem a ave.

 

Não se esqueça que um peru ou outra ave cozinhada não deve permanecer fora do frigorífico por um período superior a duas horas, já que promove o desenvolvimento das bactérias presentes na ave. As crianças e os idosos com sistemas imunitários mais débeis são especialmente suscetíveis de contraírem doenças causadas por essas bactérias.

 

Um Feliz Natal… evitando as urgências do hospital!

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.