Perturbações clínicas do sono dos portugueses

Estudo do Observatório Nacional de Saúde

22 fevereiro 2006
  |  Partilhar:

 

Cerca de 14 em cada cem portugueses tomam sempre ou frequentemente comprimidos para dormir, segundo um estudo do Observatório Nacional de Saúde (ONSA) sobre perturbações do sono, que identificou uma pequena percentagem de adeptos da sesta.
 

 

"Uma observação sobre a prevalência de perturbações do sono em Portugal Continental", uma investigação ONSA divulgada no site oficial, visou "contribuir para o conhecimento da evolução dos hábitos de sono e da prevalência das respectivas perturbações". O estudo resultou de dois inquéritos realizados por entrevista telefónica, em 1999 e 2004, a maiores de idade, num total de 1.836 inquéritos válidos (861 em 1999 e 975 em 2004).
 

 

Foi nos grupos de mulheres (13,7 por cento em 1999 e 17,8 por cento em 2004), mais idosos (25,1 por cento e 32,4 por cento) e com menor nível de instrução (17,7 por cento e 25,7 por cento) que se detectou maior percentagem de indivíduos que referiram tomar comprimidos para dormir. A maioria dos inquiridos nunca toma comprimidos para dormir (78,2 por cento em 1999 e 78,8 por cento em 2004), enquanto que 11,1 por cento (em 1999) e 7,3 por cento (em 2004) declara que só ocasionalmente recorre à medicação.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.