Peritos discutem as doenças neurodegenerativas em Aveiro

Investigadores reunem-se esta semana na Universidade de Aveiro

09 outubro 2002
  |  Partilhar:

Discutir o actual nível do conhecimento na área das doenças neurodegenerativas, como Alzheimer ou Parkinson, é um dos objectivos de um simpósio que vai trazer a Portugal, entre quinta- feira e sábado, cerca de 30 investigadores estrangeiros.
 

 

O simpósio vai realizar-se na Universidade de Aveiro e tem por tema as "Novas Oportunidades Terapêuticas nas Doenças Neurodegenerativas".
 

 

"Um dos maiores desafios na investigação biomédica actual é o desenvolvimento de terapêuticas inovadoras para o tratamento e prevenção de doenças com consequências devastadoras, como são as neurodegenerativas", explicou à Agência Lusa Tiago Fleming Outeiro, investigador e um dos organizadores do simpósio.
 

 

Entre estas encontram-se as doenças de Alzheimer, de Parkinson, de Huntington, as doenças priónicas, as ataxias e outras menos frequentes.
 

 

Segundo o cientista, "um aspecto comum a todas estas doenças é o facto de provocarem um grande impacto no estilo de vida tanto do doente como da própria família".
 

 

Assim, à luz dos progressos nas diferentes áreas de investigação, da biologia celular e molecular até à genética, bioquímica, biofísica e biomedicina, refere, "sentimos a necessidade de juntar alguns dos mais conceituados investigadores a nível mundial".
 

 

"O intercâmbio de informação entre investigadores terá um papel determinante para o desenvolvimento de novas estratégias de combate a este tipo de patologias", sublinhou Tiago Outeiro, licenciado em Bioquímica pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.
 

 

Com apenas 26 anos, este investigador já passou pela Universidade de Leeds (Inglaterra) e encontra-se actualmente a efectuar o doutoramento na área das doenças neurodegenerativas no Instituto Whitehead para a Investigação Biomédica do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), em Cambridge, Massachusetts (EUA).
 

 

O simpósio dirige-se não só a participantes provenientes do meio académico mas também a pessoas do meio empresarial com interesse na área, nomeadamente a indústria farmacêutica nacional e internacional.
 

 

O evento conta, aliás, entre os patrocinadores com nomes de gigantes da indústria farmacêutica como Bial, Pfizer e Novartis.
 

 

Divulgar a nível internacional algumas das mais importantes empresas farmacêuticas portuguesas com projectos nesta área e incentivar o investimento por parte de instituições estrangeiras em Portugal são outros dos objectivos desta reunião.
 

 

Segundo Tiago Outeiro, a investigação portuguesa estará também representada ao mais alto nível, com especialistas nacionais de quatro das maiores Universidades do país: Porto, Aveiro, Coimbra e Lisboa.
 

 

"A área das doenças neurodegenerativas tem particular interesse para Portugal, especialmente devido à elevada incidência na população da doença Paramiloidose, vulgarmente conhecida como "doença dos pézinhos", explicou.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.