Penso de rivastigmina melhora qualidade de vida de doentes com Alzheimer

Informações veiculadas pelo laboratório responsável

25 julho 2006
  |  Partilhar:

Os doentes com Alzheimer poderão em breve usar um penso com rivastigmina para o tratamento da doença, segundo uma apresentação pública do laboratório responsável pelo seu desenvolvimento.Aplicado uma vez por dia, o novo penso permite uma absorção rápida da rivastigmina (Exelon, Novartis), objectivando um menor número de efeitos secundários sobre o sistema gastrointestinal e mantendo uma dose diária consistente.Um estudo de quase 1.200 pacientes financiado pela Novartis comparou a administração oral de 12 miligramas de rivastigmina por dia com a aplicação de um penso de dose fraca, equivalente a 9,5 miligramas diários, ou um de dose alta, equivalente a 17,4 miligramas.O penso de dose baixa revelou-se tão eficaz quanto os comprimidos de dose alta, mas estes provocaram três vezes mais náuseas e vómitos. Os pacientes com pensos de dose alta tiveram resultados ligeiramente melhores em testes cognitivos do que os que tomaram comprimidos, apresentando efeitos secundários semelhantes.Fontes: Lusa e Imprensa InternacionalMNI- Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.