Paxil pode desenvolver malformação cardíaca no feto

Alerta da Food and Drug Administration

14 dezembro 2005
  |  Partilhar:

A Food and Drug Administration (FDA) alertou para os riscos acrescidos para o feto, quando a mãe toma o antidepressivo Paxil. A agência reforça o facto de a toma deste medicamento poder desenvolver malformação cardíaca no feto, nos três primeiros meses antes e depois da gravidez. A Agência norte-americana para a Alimentação e Medicamentos pediu ao fabricante, o laboratório farmacêutico britânico GlaxoSmithKline, para mudar a categoria em que o medicamento está classificado, de modo a especificar os riscos potenciais que apresenta. Em comunicado enviado à imprensa, a FDA salienta, no entanto, que os benefícios do medicamento, cujo genérico é comercializado sob o nome de "paroxetina", poderão contrabalançar os riscos. Estudos efectuados em grávidas, que tomaram o Paxil nos três primeiros meses de gravidez, revelaram malformações entre uma vez e vez e meia superiores ao normal, segundo aponta o mesmo organismo. A maior parte dos defeitos cardíacos congénitos eventualmente relacionados com aquele antidepressivo caracteriza-se especialmente pela existência de um orifício no septo que separa os dois ventrículos ou as aurículos cardíacos. Esses orifícios cicatrizam muitas vezes naturalmente e, noutros casos, esses defeitos podem ser facilmente corrigidos através de uma intervenção cirúrgica. MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.