Passar tempo com os pais é benéfico para os adolescentes

Estudo publicado na revista “Child Development”

24 agosto 2012
  |  Partilhar:

Um estudo conduzido por investigadores da Penn State University, EUA, demonstrou que passar mais tempo na companhia dos pais é benéfico para o bem-estar dos adolescentes.

 

Os adolescentes têm a fama de procurarem ser independentes dos pais. “O estereótipo que os adolescentes passam o tempo inteiro enfiados nos seus quartos ou na companhia dos amigos é, de facto, um estereotipo”, afirmou Susan Mc Hale, professora de desenvolvimento humano e diretora do Social Science Research da Penn State University.

 

Susan Mc Hale e os colegas têm vindo a investigar a forma como os adolescentes passam os tempos livres desde o início dos anos 80. A equipa apercebeu-se que perguntar aos participantes o que eles fizeram dias ou semanas antes não é tão eficiente ou esclarecedor como seguir essas atividades em tempo real.

 

Os investigadores criaram então um estudo longitudinal (de longo termo) no qual participaram quase 200 famílias, de raça branca, da classe média e trabalhadora, que viviam em pequenas cidades, vilas ou em comunidades rurais. No início do estudo o filho mais velho de cada família tinha cerca de 11 anos e o segundo mais velho cerca de oito anos de idade.

 

Foram conduzidas entrevistas a mães, pais e aos dois filhos mais velhos, em casa, em cinco ocasiões, no decorrer de um período de sete anos. Durante as entrevistas realizadas nos domicílios, os entrevistados foram questionados relativamente às suas atividades sociais e sobre a sua autoestima. As entrevistas no domicílio eram seguidas de entrevistas telefónicas, realizadas durante sete dias. Susan Mc Hale considera que “ter falado com os miúdos ao telefone sobre o que tinham feito naquele dia fornece uma imagem do que é a realidade do seu dia-a-dia”, acrescentando que “em vez de se obter informação generalizada ou processada, é no momento dos acontecimentos e através das próprias palavras das crianças, sendo mais difícil enganarem-se ou esquecerem-se de factos”.

 

Os resultados revelaram que embora o tempo que o adolescente passa na companhia dos pais quando outras pessoas estavam presentes diminuísse entre o início e o fim da adolescência, o tempo passado pelos adolescentes apenas na companhia dos pais aumentava no início e meio da adolescência. Este facto vem contrariar o estereótipo do adolescente que se afasta cada vez mais dos pais.

 

Os investigadores ficaram surpreendidos ao descobrirem que quando o pai passava mais tempo só com o filho adolescente, este mostrava uma maior sensação de bem-estar e autoestima. Susan Mc Hale acredita que este aumento de autoestima no adolescente tem a ver com o papel do pai no contexto da família. A investigadora explicou que o que diferenciou umas famílias das outras foi a presença do pai na família e o tempo por ele dedicado aos filhos.

 

O estudo demonstrou ainda que os pais tendem a passar mais tempo com o segundo filho adolescente mais velho do que com o primeiro. A razão prende-se provavelmente com o facto de os pais se sentirem mais confiantes em interagirem com um adolescente quando isso acontece uma segunda vez.

 

Marta Flaum, psicóloga especializada em crianças e adolescentes, questiona-se até que ponto é que esta amostra transmite a realidade do mundo real que é muito mais heterogénea. Embora concorde que a autoestima dos adolescentes aumenta quando estes passam mais tempo na companhia dos pais, a psicóloga acha que hoje em dia estes não passam muito tempo na companhia dos progenitores. “Com a influência cada vez maior dos “ecrãs” e com o tempo cada vez maior que passam ligados aos mesmos, receio que o tempo passado em família seja cada vez menor”, comenta.

 

No entanto, a psicóloga encoraja os pais a arranjarem tempo para se dedicarem aos filhos, independentemente das suas responsabilidades. “Este tipo de estudo lembra-nos o quanto importante isso é”, defende.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.