Parque aquático devolve sorrisos a crianças com necessidades especiais

Unidade pertence ao Kastelo

27 agosto 2018
  |  Partilhar:
O Kastelo, unidade de cuidados continuados e paliativos pediátricos em Matosinhos, inaugurou um parque aquático para crianças com necessidades especiais para as ajudar na reabilitação e estimulação sensorial, mas sobretudo para lhes proporcionar “experiências únicas e devolver sorrisos”.
 
“Hoje fez-se história porque crianças ligadas a um ventilador têm, a partir de agora, a oportunidade única de estar num parque aquático e sentirem-se iguais a crianças consideradas saudáveis”, disse à Lusa a diretora técnica, Teresa Fraga.
 
Falando num equipamento único na Europa e o segundo a nível mundial, depois de em 2017 ter inaugurado um semelhante no Texas, nos EUA, a responsável afirmou que “a sua importância na vida das crianças é incalculável, este parque tem sido o delírio dos meninos e das meninas”.
 
O parque, nas traseiras do edifício principal, está rodeado de um enorme jardim e de uma quinta, tendo ainda um “cantinho das memórias”, onde são lembrados os “príncipes e princesas” do Kastelo que “já partiram”, referiu a diretora técnica.
 
As melhorias apresentadas por algumas crianças surpreenderam os profissionais que as acompanham, ressalvou a terapeuta ocupacional, Raquel Pereira, acrescentando que “um ou dois casos beneficiaram imenso com o parque em pouco tempo”.
 
A fisioterapeuta Diana Palhas que, diariamente, trabalha com as crianças na água fala numa enorme melhoria no seu desenvolvimento psicomotor.
 
Fazendo toda a diferença a nível da reabilitação, os “príncipes e princesas” do Kastelo ficam mais calmos, interativos e alegres na água, permitindo-lhe uma maior estimulação sensorial do que apenas os trabalhos feitos em sala, avançou.
 
Criada em 2006 pela Associação NoMeioDoNada para apoiar crianças que somavam meses nos hospitais do Porto, o Kastelo foi a primeira unidade de cuidados paliativos pediátricos da Península Ibérica.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar