Parentes de autistas partilham padrões cerebrais

Estudo publicado na New Scientist avalia pais e filhos

30 janeiro 2006
  |  Partilhar:

 

Os familiares de autistas partilham com eles algumas características cerebrais, apesar de não sofrerem do distúrbio, afirma um estudo publicado na revista britânica New Scientist.
 

A investigação, elaborada por cientistas da University of Denver, Colorado, Estados Unidos, comparou imagens cerebrais de 40 pais de crianças autistas com as de outras quarenta pessoas cujos filhos não sofriam do problema.
 

 

Foi observado que o primeiro grupo de pais apresentava características cerebrais próprias do autismo, como um maior tamanho do córtex motor e dos gânglios basais, ambas áreas relacionadas com o movimento e a imitação. Por outro lado, o córtex somato-sensorial, importante para entender informações sociais como as expressões faciais - uma capacidade que costuma faltar aos autistas -, mostrava-se menor do que o habitual.
 

 

Também foi detectado nos pais, assim como nos filhos, reduções do cerebelo, que coordena o movimento voluntário e o de uma região frontal do cérebro que é fundamental para compreender as intenções das outras pessoas. Segundo o professor Eric Peterson, líder da equipa de investigadores, a descoberta dessas características comuns facilitará a identificação futura das pessoas com risco de conceber filhos autistas.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.