Parasita que provoca Leishmaniose é o mesmo em toda a península Ibérica

Estudo europeu liderado por investigadoras portuguesas

24 julho 2008
  |  Partilhar:

O grupo de parasitas responsável pela leishmaniose é idêntico em toda a península ibérica e geneticamente distinto do existente nas ilhas Baleares e na Grécia ou noutros países mediterrânicos como a Turquia, Tunísia e Israel.
 

 

Esta é um das conclusões de um estudo europeu de que são co-autoras duas investigadoras do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa (IHMT-UNL), a par de colegas de outros institutos universitários na Alemanha, Espanha, Grécia, França e Reino Unido.
 

 

O estudo, publicado pela revista norte-americana PLoS Neglected Tropical Diseases, do grupo Public Library of Science, abre caminho a um melhor conhecimento da epidemiologia desta doença, muito frequente nos cães e com uma variante humana responsável por 10 a 20 novos casos por ano em Portugal.
 

 

O estudo agora publicado consistiu numa investigação genética do parasita com o objectivo de perceber como se propaga a epidemia, cujo número de casos está a aumentar nos países mediterrânicos, principalmente devido a co-infecções com o VIH (vírus da imunodeficência humana). Nestes casos, nomeadamente entre toxicodependentes, a partilha de seringas substituiu o insecto como vector habitual.
 

 

Além disso, as alterações climáticas podem favorecer também o aumento dos casos, segundo alertam os investigadores, sendo que os cães abandonados constituem um importante foco de infecção em Portugal.
 

 

Fontes: Lusa
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.