Papel da família no tratamento das Doenças do Comportamento Alimentar

Estudo publicado na revista "Archives of Geral Psychiatry"

05 setembro 2007
  |  Partilhar:

 

Os adolescentes que sofrem de Bulimia, ou outra Doença do Comportamento Alimentar, têm até duas vezes mais probabilidades de recuperação caso se submetam a um tratamento em que também participem os seus pais, segundo um estudo divulgado na revista "Archives of Geral Psychiatry".
 

 

Uma equipa de investigadores da University of Chicago, liderada por Daniel Le Grange, chegou a esta conclusão após analisar 80 adolescentes, entre os 12 e os 19 anos, diagnosticados com Bulimia Nervosa. Metade dos pacientes foi submetida a 20 sessões de tratamento acompanhado pelos pais.
 

 

Os resultados desse grupo foram muito melhores, segundo os cientistas, que afirmaram que cerca de 40% dos que foram acompanhados pelos seus pais tinham melhorado significativamente (deixado de comer compulsivamente e vomitar), contra 18% dos que conseguiram efectuar o tratamento sem essa presença familiar.
 

 

Seis meses depois do tratamento, cerca de 30% dos que tinham sido acompanhados pelos familiares mostravam uma recuperação, em oposição a apenas 10% do outro grupo com relatos de melhoras.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.