Pais “helicóptero” podem causar depressão nos filhos em idade universitária

Estudo publicado na revista “Springer's Journal of Child and Family Studies”

18 fevereiro 2013
  |  Partilhar:

Os pais que mantêm o controlo dos compromissos, férias e mesmo da roupa dos filhos que se encontram em idade universitária poderão estar a prejudicá-los, em vez de os beneficiarem, atesta um estudo publicado recentemente numa revista dedicada à família.


Conduzido por Holly Schiffrin da University of Mary Washington, nos EUA, o estudo revelou que os filhos dos chamados pais “helicóptero” apresentam uma maior tendência para se sentirem deprimidos e insatisfeitos com a vida.


Publicado na revista “Springer's Journal of Child and Family Studies”, o estudo teve como base uma sondagem efetuada via internet que envolveu 297 alunos universitários norte-americanos aos quais foi pedido que descrevessem os comportamentos das mães, bem como o seu grau de independência. Os investigadores analisaram posteriormente os níveis de satisfação e de felicidade dos participantes.


Numa época em que se vivem tensões económicas a nível global, tem-se registado um aumento simultâneo de pais supercontroladores, aumentando as preocupações relativamente ao possível sucesso dos filhos desse tipo de pais. O sentimento da necessidade de independência e de se sentirem capazes acaba por ficar abafado nos filhos dos pais “helicóptero”.


A autora do estudo comenta que o facto de se “ver pais com um envolvimento tão abrangente nas suas (dos filhos) vidas universitárias, a contactarem os professores e a decidirem sobre os seus compromissos, constitui uma novidade que está cada vez mais a aumentar. Este fenómeno não promove a independência nem a possibilidade de se aprender com os próprios erros”.


Este estudo vem fomentar os debates cada vez mais crescentes em relação ao nível de envolvimento dos pais na vida dos filhos. Holly Schiffrin admite que o desenvolvimento tecnológico tenha fomentado uma mudança no envolvimento dos pais na vida universitária dos filhos; passou-se do telefonema semanal para os SMS, mensagens de correio eletrónico e outros serviços de mensagens de forma regular.


Nos EUA existem agora universidades que proporcionam sessões de orientação aos pais para os encorajar a proporcionarem mais liberdade aos filhos. No Reino Unido, Mike Grenier, um dos diretores de internato do famoso colégio Eton College está a promover uma campanha que tem como objetivo desacelerar o ritmo dos pais, argumentando que o controlo parental exagerado pode de facto desmotivar e causar danos psicológicos nos filhos.


“O grande perigo do controlo parental exagerado consiste no facto de ser intrusivo e de os pais não deixarem os filhos tomarem as suas próprias decisões, correrem riscos e aprenderem por si próprios”, comentou.


ALERT Life Sciences Computing S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.