Pacientes com diabetes ainda produzem insulina

Estudo publicado na revista “Diabetes Care”

27 junho 2017
  |  Partilhar:
Quase metade dos pacientes com diabetes de tipo 1 há mais de dez anos ainda produz alguma insulina, apurou um estudo recente.
 
O estudo conduzido por uma equipa de investigadores da Universidade de Uppsala, Suécia, veio contrariar a teoria que o organismo dos pacientes com a doença, a qual se manifesta durante a infância ou adolescência, perde totalmente a capacidade de produzir insulina.
 
Para o estudo, os investigadores analisaram mais de uma centena de pacientes com diabetes de tipo 1 do Hospital Universitário de Uppsala. 
 
Além de ter sido observado que quase metade dos pacientes ainda produzia insulina, a equipa apurou que o sistema imunitário daqueles pacientes apresentava grandes diferenças em relação ao dos que tinham perdido completamente a capacidade de produzir insulina.
 
Com efeito, os pacientes que produziam alguma insulina apresentavam níveis muito mais elevados no sangue de interleucina-35, uma proteína sinalizadora anti-inflamatória do sistema imunitário. Aqueles pacientes possuíam também muito mais células imunitárias que produzem interleucina-35 e que travam ataques imunes.
 
No entanto, os investigadores não conseguiram descobrir se aqueles pacientes possuíam níveis mais elevados de interleucina-35 no início da diabetes de tipo 1 ou se os níveis daquela proteína tinham subido com o decorrer dos anos, resultando na travagem de ataques imunes contra as células produtoras de insulina.
 
O mesmo grupo de investigadores tinha anteriormente descoberto que tanto os pacientes com diabetes de tipo 1 recentemente diagnosticada e os que possuíam a doença há muito tempo apresentavam níveis médios de interleucina-35 baixos em comparação a indivíduos saudáveis.
 
Foi também apurado em modelos animais que se podia evitar o desenvolvimento da diabetes de tipo 1 e reverter a doença com um tratamento com interleucina-35.
 
Sendo assim, e considerando os resultados do presente estudo, os investigadores concluíram que existe um potencial de desenvolvimento de um fármaco para o tratamento da diabetes de tipo 1 a partir da interleucina-35. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar