«Os solários matam»

Alerta do presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia

27 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

O presidente da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) defendeu a colocação de avisos às portas dos solários a advertir que aqueles equipamentos matam, à semelhança das mensagens colocadas nos maços de cigarros. Francisco Menezes Brandão falava à Agência Lusa a propósito do Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Pele, que se assinala segunda-feira, dia 30.
 

 

Os solários não fazem falta para nada e, uma vez que não os podemos proibir, devem ser regulamentados», explicou. Francisco Menezes Brandão defendeu mesmo a colocação de um aviso - à semelhança do que actualmente existe nos maços de cigarros - nas portas daqueles equipamentos a dizer «os solários matam».
 

 

Em Março deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) desaconselhou a utilização de solários por menores de 18 anos, devido ao risco de cancro da pele associado a este tipo de equipamento, que estudos recentes colocaram em evidência. A OMS alertou que alguns solários podem emitir raios ultravioletas com uma intensidade muito mais elevada do que a emitida pelo sol ao meio-dia, na maior parte dos países.
 

 

A exposição de menores de 18 anos à radiação ultravioleta e o número de queimaduras da pele que sofrem durante a infância e adolescência, seja devido à excessiva exposição ao sol ou à frequência de solários, aumentam o risco de virem a desenvolver de cancro da pele na idade adulta. Entre as consequências principais de uma exposição excessiva a este tipo de radiação encontram-se os cancros cutâneos, as lesões oculares e o envelhecimento prematuro da pele.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.