Os perigos dos produtos naturais

Nota explicativa do Infarmed

06 fevereiro 2004
  |  Partilhar:

Por existir a ideia de que «natural» é sinónimo de «inócuo», os consumidores têm tendência para utilizar, muitas vezes de modo excessivo, os produtos naturais, explica uma nota explicativa do Infarmed. Mas há perigos. Risco de intoxicação Muitas plantas apresentam na sua composição constituintes com elevada actividade farmacológica, sendo necessário que o teor de alguns desses constituintes seja controlado de forma rigorosa, para que não existam riscos de intoxicações. Todas as pessoas sabem que se ingerirem determinados cogumelos, por exemplo, correm risco de morte. Do mesmo modo, existem plantas cuja ingestão pode provocar intoxicações agudas e existem plantas que podem provocar problemas a longo prazo. Por exemplo, foi amplamente publicitado, no início dos anos 90, que na Bélgica houve vários casos mortais - e alguns não mortais, mas que obrigaram a transplante renal - provocados pela ingestão de um produto para emagrecer que continha uma planta com constituintes que são cancerígenos. Interacções medicamentosas Existe o risco de interacções com medicamentos para várias patologias: muitas plantas podem provocar interacções com antidiabéticos, anticoagulantes, anticoncepcionais... Os resultados podem ser crises hipoglicémicas, hemorragias dificilmente controláveis, gravidezes não desejadas. A milfurada é uma planta usada para tratar estados depressivos e alterações de humor que se concluiu poder reduzir a eficácia do indinavir (um anti-vírico usado, por exemplo, nos tratamentos da sida) e até da pílula contraceptiva, afirma um artigo da revista «Teste Saúde», que cita um alerta da Agência Europeia de Medicamentos. Assim, aconselha-se a não combinar medicamentos e plantas sem escutar a opinião de um médico. Falta de controlo das matérias-primas Existem muitos outros riscos, a começar pela incorrecta identificação de algumas plantas, que poderão por isso ser substituídas por outras que possam apresentar riscos. Devido à falta de controlo das matérias-primas, existe a possibilidade de serem usadas plantas com contaminantes vários (desde metais pesados a pesticidas, que podem por si só provocar problemas graves para a saúde) e que poderão mesmo chegar à inclusão deliberada de determinadas substâncias químicas para potenciar o efeito do produto - existem vários casos conhecidos de inclusão de corticosteróides em pomadas para tratamento de eczemas, por exemplo, e à utilização deliberada de plantas que não são indicadas na composição.Fonte: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.