Os médicos são influenciados pelas empresas farmacêuticas?

Estudo canadiano é revelador

06 fevereiro 2002
  |  Partilhar:

Os médicos que elaboram os protocolos para o tratamento de doenças confessam que raramente revelam as comissões recebidas e os financiamentos a pesquisas pagos por laboratórios. Alguns médicos vão ainda mais longe ao admitirem que são influenciados por essas relações. Estas são as conclusões polémicas de um estudo canadiano reveladas na edição desta semana do Journal of the American Medical Association.
 

 

Os autores do estudo, Niteesh Choudhry, Henry Stelfox e Allan Detsky, todos eles investigadores da Universidade de Toronto (Canadá), recomendam que os médicos devem revelar todos os contactos feitos por parte das indústrias farmacêuticas, principalmente aqueles que suscitam conflitos de interesse mais significativos, a fim de reduzir a sua influência na elaboração das directrizes em vários procedimentos da prática clínica.
 

 

Este grupo de investigadores contactou com 192 médicos norte-americanos e europeus, dos quais responderam 100 (52,1%). Choudhry e colegas constataram que em cada dez médicos, nove afirmaram terem contactos regulares com uma média de dez laboratórios.
 

 

Embora na amostra do estudo façam parte médicos responsáveis pela elaboração, entre 1991 e 1999, de 37 directrizes de práticas clínicas amplamente seguidas para doenças comuns, a maioria dos profissionais afirmam que as suas recomendações não foram influenciadas pelos contactos com as empresas farmacêuticas. Contudo, 7% dos profissionais admitiram que essa influência existiu e 19%, embora não admitam que isso tenha acontecido com eles, acreditam que isso possa ter acontecido.
 

 

Os médicos podem ter contactado com os laboratórios ou com as indústrias farmacêuticas como empregados, como consultores ou ainda como beneficiários de um financiamento para uma determinada pesquisa. E os médicos tiveram de declarar essas relações financeiras com os laboratórios?
 

 

Quase metade destes profissionais afirmam que não e apenas dois afirmaram terem feito declarações específicas e explícitas sobre relações deste tipo.
 

 

Em declarações à agência Reuters, os autores deste estudo afirmaram que acreditam que estas conclusões destacam a necessidade de que os conflitos de interesses de ordem financeira sejam revelados pelos autores de quaisquer directrizes para a prática clínica.
 

 

Para tal, os investigadores afirmam que isso poderá ser feito por meio de um procedimento formal de discussão em que esses conflitos possam ser revelados atempadamente por forma a tornar mais clara a elaboração dos protocolos da prática clínica. Além disso, um processo formal de discussão de conflitos de interesses também poderá servir como um instrumento válido que garante a isenção e idoneidade destes profissionais.
 

 

MNI – Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.