Os genes e o começo da menopausa

Estudo publicado na “Nature Genetics“

26 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Uma equipa de investigadores internacional descobriu 13 novas regiões do genoma associadas com o início da menopausa, dá conta um estudo publicado na “Nature Genetics“.

 

A menopausa é a maior alteração hormonal que afeta as mulheres quando estas atingem os 50 anos. Este período fisiológico pode ter um grande impacto na fertilidade, assim como influenciar o risco de desenvolvimento de determinadas doenças como o cancro da mama. Estudos anteriores já haviam descoberto que os fatores genéticos influenciam o começo da menopausa, no entanto, até ao momento, pouco genes tinham sido identificados.

 

Neste estudo, os investigadores das universidades de Exeter e Oxford, no Reino Unido, juntamente com dezenas de colaboradores internacionais, analisaram o genoma de mais de 50.000 mulheres, tendo identificado 13 novas regiões associadas com o início da menopausa e confirmado quatro previamente identificadas.

 

A maior parte das 17 regiões identificadas incluíam genes envolvidos nos danos e reparação do ADN ou no sistema imunitário, enquanto outros estavam associados à regulação hormonal.

 

“Estes novos resultados chamam a atenção para vias biológicas que não estavam previamente associadas com o período fértil da mulher  e poderão fornecer mais informações sobre algumas das condições associadas à menopausa, como o aparecimento de doenças cardiovasculares e cancro da mama”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, John Perry.

 

A associação da menopausa com o cancro da mama está relacionada com o tempo total em que a mulher tem ciclos menstruais e acredita-se que também esteja associada com a exposição ao estrogénio ao longo da vida. Estudo anteriores constataram que uma menopausa precoce protege contra o desenvolvimento de cancro da mama.

 

Por outro lado, o risco cardiovascular aumenta após o início da menopausa e a redução dos níveis de estrogénio parecem ser um componente chave para o aumento deste risco.

 

Os investigadores esperam identificar mais genes associados à menopausa e também avaliar qual o seu impacto nos distúrbios reprodutivos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.