Os filhos dos dependentes

Cascais debate problemática

09 abril 2002
  |  Partilhar:

As crianças cujos pais e/ou mães sofram de problemas de alcoolismo ou toxicodependência, além de sofrerem as consequências ao nível afectivo e familiar, estão elas próprias mais propensas para se virem a tornar dependentes no futuro.
 

 

Esta é, porventura, a principal conclusão a tirar do encontro sobre a problemática das dependências que ontem decorreu no Centro Cultural de Cascais, sob o lema “Os Filhos dos Dependentes”, por organização da respectiva Câmara Municipal. Foi na primeira mesa do encontro, dedicada à intervenção clínica, que foram abordadas as consequências sofridas pelas crianças filhas de pais dependentes e as próprias características genéticas tendentes a produzir casos de dependências.
 

 

Segundo Célia Santos, do Centro Regional de Alcoologia do Sul, os filhos de pais alcoólicos sofrem de perturbações hormonais quando comparados com as crianças da mesma idade. Em termos médicos, exemplificou a especialista, estas crianças têm uma menor taxa de recaptação da serotonina e uma menor libertação de adrenalina em situações de “stress”, além de perturbações ao nível das endorfinas e sistema enzimático.
 

 

A mesma especialista adiantou a existência de estudos que sugerem a possibilidade de serem os genes do cromossoma 1 os responsáveis pela predisposição para o alcoolismo e outras perturbações afectivas.
 

 

Numa inventariação sistémica, Célia Santos começou por referir que nas suas consultas passam alguns utentes jovens e que estes “têm invariavelmente um ou mais familiares dependentes”, descrevendo o alcoolismo como a “sinalização de uma família bloqueada” e “incapaz de crescer” com as crises.
 

Como consequência do alcoolismo familiar as crianças acabam por sofrer perturbações afectivas, sendo as mais comuns a ansiedade, dificuldade nas relações sociais, propensão para doenças e dificuldade de aprendizagem na escola. Os progenitores foram descritos como tendo características narcísicas, fazendo as crianças passar para segundo plano.
 

 

Veja mais no: Correio da Manhã
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.