Os bebés que nunca comeram carne de vaca
28 janeiro 2002
  |  Partilhar:

Em Portugal existem crianças que nunca provaram carne de vaca. Desconhecem o sabor de um bife porque é uma geração que nasceu numa época de medo da doença das vacas loucas. Muitos educadores aboliram das dietas alimentares das crianças este tipo de carne. Para isso contribuiu o surto que durante a década de 90 assustou a Europa e poderá estar na origem de uma centena de mortes em Inglaterra e três em França.
 

 

Portugal, ainda sem nenhum caso confirmado da versão humana da doença, conheceu a pior época a partir de 1996, quando começou a aumentar o número de casos de animais contaminados com BSE, que levou a Comissão Europeia a impor, em 1999, o embargo à carne portuguesa.
 

 

"O Jaime nunca comeu carne de vaca", diz a mãe desta criança de quatro anos, professora universitária e que tomou a decisão por "ainda ter medo" das consequências do consumo de produtos bovinos. Catarina Silva não tem dúvidas: "Ainda não estamos totalmente seguros em relação à BSE."
 

 

 

Opinião dos especialistas
 

 

Helena Saldanha, médica nutricionista, considera que podemos ter uma alimentação saudável sem comer este tipo de carne. "A carne de vaca entrou nos nossos hábitos, mas se não a comermos não faz mal nenhum, pois, em termos de saúde, talvez seja a menos boa", refere. A especialista recomenda a sua substituição por carne de carneiro, cabrito, ovelha, cabra, aves e carne de animais marinhos, nomeadamente o peixe. "Se as águas não estiverem poluídas esta é de facto a melhor carne porque tem proteínas iguais às outras e as gorduras são mais saudáveis porque são ricas em ácidos gordos que fazem bem, nomeadamente para fortalecer os tecidos em crescimento".
 

 

A endocrinologista Isabel do Carmo também só vê vantagens em substituir vaca por outras carnes vermelhas como o borrego, a avestruz ou o porco, igualmente ricas em ferro. "Ao contrário do que as pessoas pensam, a febra de porco, limpa de gordura, tem menos colesterol do que a de vaca", disse ao DN esta especialista, adiantando que a última avaliação sobre o consumo de carnes, feita pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) posteriormente ao aparecimento das vacas loucas, indicava já um decréscimo do consumo da carne de vaca na população em geral. Já para o pediatra Jaime Mendes, do Hospital de Santa Maria, "não é necessário retirar a carne de vaca da alimentação" e recomenda o consumo.
 

 

Fonte: Diário de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.