Os alarmismos em torno do consumo de carne vermelha

Declarações da presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia

30 outubro 2015
  |  Partilhar:
A presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) diz ser desnecessário “alarmismos ou a abolição do consumo de carnes vermelhas” mas defende uma alimentação equilibrada e sem exagero de carnes que possam potenciar o cancro.
 
“Não há necessidade de abolir completamente o consumo, a carne também tem componentes essenciais e precisamos de proteínas. O que chamamos a atenção é que estes produtos têm o seu papel se consumidos com outros”, como as frutas, os vegetais, os produtos hortícolas, explicou à agência Lusa.
 
Gabriela Sousa, do Instituto Português de Oncologia de Coimbra, falou a propósito do estudo publicado recentemente na revista “The Lancet Oncology”, que revelou que a carne processada é cancerígena para os seres humanos e classificou a carne vermelha como provavelmente cancerígena. 
 
“Não veio acrescentar nada mais ao que já sabíamos. Sabe-se que as carnes vermelhas são as mais perigosas, sobretudo depois de cozinhadas. O estudo, acrescentou, foi alguma evidência em relação às carnes processadas”, disse a presidente, referindo que a população em geral tinha já a perceção de que carnes vermelhas e processadas (enchidos por exemplo) não eram alimentos saudáveis.
 
A solução está na moderação, sendo que a SPO tem continuamente chamado a atenção para a necessidade de formação da população relativamente à alimentação e que os “pequenos desvios” se corrigem com outros nutrientes, em que pontuam as frutas e os legumes.
 
“Basicamente o que chamamos à atenção é que estes produtos têm o seu papel se consumidos com outros, a palavra-chave é Equilíbrio”, salientou.
 
Sendo certo, acrescentou a especialista, que o cancro do colon retal é “um problema de saúde pública”, o que a SPO alerta é para a necessidade de medidas de prevenção, que passam por uma alimentação saudável.
 
O “cancro é uma doença multi-fatorial” e como tal é difícil estabelecer uma causa-efeito, disse quando questionada sobre se era possível estabelecer uma relação entre um grande consumo de carnes vermelhas e processadas e algum tipo de cancro.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.