Ordem dos Médicos contra venda de medicamentos para Sida, Cancro ou Hepatites nas farmácias

Declarações proferidas pelo bastonário

22 outubro 2006
  |  Partilhar:

 

A Ordem dos Médicos não concorda com a ideia do Ministério da Saúde que permitirá que as farmácias forneçam os medicamentos para doenças como o Cancro, Sida ou Hepatites, e ameaça combatê-la com denúncias nas instâncias internacionais.
 

O ministro da Saúde, António Correia de Campos, anunciou este fim-de-semana, no encerramento do 8º Congresso Nacional das Farmácias, em Lisboa, que a tutela está a preparar medidas que passam este serviço para farmácias interessadas.
 

 

Mas a Ordem dos Médicos discorda e ameaça mesmo impor processos disciplinares aos clínicos que, no futuro, receitem medicamentos deste tipo para administração na farmácia. "Se os medicamentos para a Sida não forem monitorizados nos hospitais há um enorme risco de resistência do vírus da Sida - à semelhança do que acontece com a Tuberculose - que pode matar todos os doentes", justifica o bastonário Pedro Nunes, em declarações ao "Correio da Manhã".
 

 

O médico adianta ainda: "um parecer da comissão técnica - composto por farmacêuticos e a qual integrei, há dois anos - foi totalmente negativo" quanto a esta possibilidade.
 

 

Os riscos, segundo a OM, prendem-se então com a necessidade da regularidade e respeito pelos horários da toma dos medicamentos, sob pena de aumentarem as resistências dos vírus aos fármacos, mas também pelo aumento da agressividade dos vírus, que pode aumentar a facilidade de contágio.
 

 

Fontes: Público online e Correio da Manhã
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.