Ordem dos Médicos atenta à acumulação de horas nas urgências obstétricas

Luís Graça lança advertência

14 maio 2006
  |  Partilhar:

A Ordem dos Médicos avisou que "vai estar muito atenta" aos clínicos que acumulem mais de 24 horas seguidas em urgência obstétrica, assegurando o funcionamento de serviços que correriam o risco de encerrar por falta de profissionais. Luís Graça, presidente do Colégio da Especialidade de Ginecologia e Obstetrícia da Ordem dos Médicos (OM), lançou a advertência ao intervir na conferência de imprensa convocada pela Comissão Nacional de Saúde Materna e Neonatal para "esclarecer" os fundamentos da sua recomendação de fecho de 11 maternidades. Luís Graça manifestou-se desagradado com o que considerou "tentativas de criar médicos-turbo", que não especificou, e lembrou que "nenhum médico que faça um serviço de urgência no bloco de partos", durante 24 horas pode fazer outro "sem fazer seis dias de descanso". "A Ordem vai estar muito atenta", afiançou o responsável, acrescentando não lhe fazer "confusão que as pessoas queiram ganhar dinheiro, mas que o façam seriamente". A falta de especialistas necessários a um parto com segurança (cerca de 20 permanentemente) é um dos argumentos apresentados pela Comissão para o fecho dos blocos de parto. Fonte: Lusa MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.