Oposição unida nas críticas à política de saúde
16 abril 2001
  |  Partilhar:

O primeiro-ministro e a ministra da Saúde vão ser amanhã recebidos no parlamento, pelos partidos da oposição, com fortes críticas à política de saúde, nomeadamente no que respeita à “ausência de resultados” e à “degradação” dos serviços de saúde.
 

 

Reagindo a esta perspectiva, Manuela Arcanjo declarou esperar um "debate salutar" sobre a política de saúde, mas "sem críticas com facilitismo", e argumentou que alguns grupos parlamentares não acompanham o trabalho que é feito na Saúde. Assim, criticar é fácil, mas não é justo.
 

 

A ministra da Saúde e António Guterres deslocam-se à Assembleia da República em resposta a uma interpelação do PSD sobre saúde.
 

 

A primeira intervenção do PSD ficará a cargo do líder do partido, Durão Barroso, que quer ver António Guterres a "dar explicações ao país", mas não adiantou se os sociais-democratas desejam a demissão de Manuela Arcanjo.
 

 

As dívidas à indústria farmacêutica e à Associação Nacional das Farmácias, que ascendem, respectivamente, a cerca de 88 e 139 milhões de contos, bem como os resultados do programa de recuperação de listas de espera, prometem marcar o discurso dos restantes partidos da oposição.
 

 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.