Óleo de canola pode reduzir gordura abdominal

Estudo publicado no “Obesity”

07 novembro 2016
  |  Partilhar:
A adição de óleo de canola a uma dieta saudável pode ajudar a reduzir a gordura abdominal em pouco menos de quatro semanas, sugere um estudo publicado na revista “Obesity”.
 
Penny M. Kris-Etherton, uma das autoras do estudo, refere que a gordura visceral ou abdominal aumenta o risco de doença cardiovascular e está também associada ao aumento do risco da síndrome metabólica e diabetes.
 
O óleo de canola é rico em ácidos gordos monoinsaturados, os quais têm demonstrado efeitos benéficos na composição corporal, especialmente em indivíduos obesos. 
 
Neste estudo, os investigadores da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos EUA, testaram o efeito de quatro óleos vegetais diferentes em 101 participantes. Os indivíduos consumiram ao longo de quatro semanas: canola convencional, canola com alto teor de ácido oleico, canola com alto teor de ácido oleico com DHA (um tipo de ácido gordo ómega-3), milho / cártamo e linho / açafrão. Após cada período de dieta de quatro semanas, os participantes fizeram uma pausa de quatro semanas antes de iniciarem o período de dieta seguinte.
 
Os participantes consumiram dois batidos durante o dia que continham o óleo de tratamento específico. A quantidade de óleo foi calculada com base nas necessidades energéticas do participante. Por exemplo, um participante que estava a fazer uma dieta de três mil calorias ingeria 60 gramas do óleo por dia, fornecendo 18% da energia total da dieta. Cada batido continha 100 gramas de sorvete de laranja, 100 gramas de leite sem gordura, 100 gramas de morangos congelados não adoçados e 30 gramas de óleo de canola. O óleo de canola foi cuidadosamente incorporado nas dietas de modo a não exceder as necessidades calóricas diárias dos participantes.
 
Todos os participantes tinham obesidade abdominal, ou aumento do perímetro abdominal, e estavam em risco de ter (ou já tinham) síndrome metabólica, um grupo de condições, incluindo obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, níveis de glucose elevados, níveis baixos de HDL (conhecido como “bom” colesterol) e excesso de gordura corporal em torno da cintura.
 
O estudo apurou que, um mês após a adesão às dietas com óleo de canola, os participantes tinham menos 11 kg gordura abdominal. Além disso, verificou-se que o peso perdido na zona abdominal não foi redistribuído pelas outras partes do corpo.
 
A investigadora referiu que habitualmente não se consegue direcionar a perda de peso para regiões específicas do corpo, mas os ácidos gordos monoinsaturados parecem atingir especificamente a gordura abdominal.
 
Os cientistas concluem que devem ser realizados mais estudos para analisar os efeitos a longo prazo de uma dieta rica em ácidos gordos monoinsaturados, como o óleo de canola.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar