Ocitocina: a hormona da fidelidade

Estudo publicado no “The Journal of Neuroscience”

16 novembro 2012
  |  Partilhar:

A hormona ocitocina poderá promover a fidelidade entre os casais monogâmicos, sugere um estudo publicado no “The Journal of Neuroscience”.
 

A ocitocina desempenha um papel importante no desencadeamento do parto. Esta hormona que é produzida numa região do cérebro conhecida por hipotálamo também está envolvida na formação das ligações afetivas. Nos humanos e noutros animais, esta substância é também conhecida por promover as ligações afetivas entre pais e filhos e entre os casais. Contudo, até à data ainda se não se sabia se esta hormona estava envolvida na manutenção das relações monogâmicas.
 

Neste estudo, os investigadores da Universität Bon, na Alemanha, administraram ocitocina ou um placebo a um grupo de homens heterossexuais. Após 45 minutos, os participantes foram apresentados a mulheres atraentes. Posteriormente, os homens foram questionados sobre a distância entre eles e as mulheres que os deixava confortáveis ou desconfortáveis.
 

Uma vez que a ocitocina é conhecida por aumentar a confiança entre as pessoais, os investigadores estavam à espera que os homens aos quais tinha sido administrado ocitocina mantivessem uma distância menor em relação às mulheres. Contudo, o estudo apurou que contrariamente aos homens solteiros, os comprometidos mantinham uma distância maior.
 

Por outro lado, a administração da ocitocina não fez com que os homens comprometidos achassem as mulheres mais atraentes. Foi também constatado, numa experiência distinta, que a administração desta hormona não teve qualquer efeito na distância mantida entre os participantes e outros homens.
 

Estudos realizados em animais já tinham apurado que a ocitocina desempenava um papel importante na ligação entre pares. “Este estudo sugere que o efeito da ocitocina na promoção do comportamento monogâmico ocorre tantos nos roedores como nos humanos”, conclui, um investigador da Emory University, nos EUA, que não esteve envolvido no estudo, Larry Young.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.