Obesidade não está sempre associada a problemas metabólicos

Estudo publicado na “The Journal of Clinical Investigation”

06 janeiro 2015
  |  Partilhar:
Algumas pessoas obesas não apresentam alterações metabólicas normalmente associadas à diabetes, doença cardíaca e acidente vascular cerebral, aponta um novo estudo.
 
O estudo, conduzido por uma equipa de investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington, EUA, incidiu sobre o efeito do ganho de peso sobre o metabolismo.
 
Para o efeito, foram recrutados 20 participantes obesos que foram convidados a engordar cerca de sete quilos ao longo de vários meses. Os investigadores mediram a capacidade de os participantes regularem o açúcar no sangue, gordura no fígado, a composição dos organismos e a sensibilidade à insulina. 
 
Os participantes foram instruídos a comer em restaurantes de fast-food, sob a supervisão de um nutricionista, e em restaurantes escolhidos pelos investigadores devido ao tamanho consistente das porções e à disponibilização exata da informação nutricional.
 
Como resultado, nos participantes que evidenciavam um perfil metabólico dentro dos parâmetros normais no início do estudo, não se registaram alterações no mesmo após o ganho de peso. No entanto, nas pessoas cujo perfil metabólico era já anormal, o ganho de peso foi associado a uma deterioração do perfil metabólico dos mesmos.
 
A equipa conseguiu identificar alguns fatores que distinguiam as pessoas obesas com metabolismo normal das que apresentavam problemas metabólicos. As pessoas com metabolismo normal não apresentavam depósitos de gordura no fígado, enquanto as pessoas com problemas metabólicos evidenciavam acumulações de gordura naquele órgão.
 
Os participantes com metabolismo normal expressavam mais genes reguladores da produção e acumulação de gordura do que aqueles com problemas metabólicos. A atividade daqueles genes aumentava quando as pessoas com metabolismo normal engordaram, sendo que este aumento não foi registado nas pessoas com metabolismo anormal. 
 
“Este estudo revela que algumas pessoas obesas estão protegidas dos efeitos adversos do ganho moderado de peso, enquanto outros estão predispostos para desenvolver esses problemas”, explica Samuel Klein, autor principal do estudo e diretor do Centro de Nutrição Humana daquela universidade. “Esta observação é importante em termos clínicos, porque cerca de 25% das pessoas obesas não possuem complicações metabólicas. Os nossos dados demonstram que aquelas pessoas mantêm-se metabolicamente normais mesmo após terem ganho peso adicional”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.